Untitled Document

O estado do Pará é uma das 27 unidades federativas do Brasil. É o segundo maior estado do país com uma extensão de 1.248.042,515 km², pouco maior que Angola, dividido em 144 municípios, está situado no centro da região norte. O estado é o mais populoso da região norte, contando com uma população de 7.321.493 habitantes.Em seu vasto território, o turista pode encontrar de tudo: praias de mar, praias de rio, grandes áreas alagáveis, cachoeiras, florestas nativas, rochas esculpidas pelo tempo e o vento, riquíssimas flora e fauna, igarapés de águas frias e transparentes.

Além das dádivas da natureza, o turista encontra cidades históricas, a começar por Belém, capital do estado, que reúne em sua região metropolitana cerca de 2,1 milhões habitantes, sendo a maior população metropolitana da região Norte. A cidade possui muitos pontos para visitação, como museus, teatro centenário, igrejas antigas, bibliotecas e novas estruturas super modernas.

Passear por Belém, cidade das mangueiras, é viajar no tempo e descobrir um Brasil amazônico. Nas primeiras ruas da cidade, construções portuguesas dos séculos 17 e 18, completamente restauradas e revitalizadas, abrem suas portas para a celebração de estilos arquitetônicos como o neoclássico do italiano Antonio Landi e convidam o turista para noites de requinte musical e gastronômico. No centro da cidade, todo o charme da Belle Époque do ciclo da borracha é cultivado em prédios como o Theatro da Paz e o Palacete Bolonha.

Quem acompanha os passos e o traçado do povo de Belém consegue sentir a força dos povos da Amazônia. Fruto da mistura de raças e ritmos, o Carimbó é uma dança marcada com um pau oco escavado que serve como tambor – uma invenção indígena; que vibra com atabaques e quadris africanos; e encena alguns movimentos, palmas e estalares de dedos portugueses. Outra atração da cultura regional são as cerâmicas marajoara e tapajônica.

Belém hoje garante estrutura e logística para eventos, com modernos auditórios e centro de convenções. Por meio da bem distribuída rede de hotéis, agências de serviços e restaurantes da cidade.

Gastronomia
É considerada pelos chefes de cozinha como uma das mais autênticas por sofrer pouca influência dos seus colonizadores e imigrantes. Suas raízes estão na culinária indígena e africana e reúne aromas e sabores em pratos simples e sofisticados, sendo uma das maiores representações culturais do povo paraense. Os ingredientes básicos são oriundos da exuberante natureza amazônica. Entre os principais pratos destacam-se o pato no tucupi, maniçoba e tacacá.
Artesanato
Um dos aspectos mais charmosos da cultura paraense é o artesanato. As peças, ricas em detalhes, guardam tradições que vão ganhando novos traços com o passar do tempo, sem perder as marcas originais. A característica marcante no artesanato paraense é sua origem indígena. Utilizam-se todos os tipos de material retirado da própria região e representa-se por vários ramos como cerâmica, cestaria, talha, objetos de madeira, de ouriço, de cheiros, de conchas, cuias e outros matérias, criando um segmento importante e criativo da nossa cultura. Quando se fala em cerâmica, dois grupos se destacam: os marajoaras e os tapajônicos.
Ritmos Folclóricos
Existem inúmeras manifestações folclóricas paraenses com coreografia, das quais podemos destacar o Xote Bragantino de origem europeia, Dança de Angola de origem Africana e o Carimbó que é o resultado de todas as misturas de raça. O Carimbó, uma das manifestações de dança mais significativas, é considerado um gênero musical de origem indígena, porém, como diversas outras mostras culturais brasileiras, miscigenou-se recebendo outras influências, principalmente negra.
Ilhas e Praias
Belém possui 39 ilhas, destas algumas com belas praias com ondas de água doce. As ilhas mais procuradas são Mosqueiro, Caratateua e Cotijuba. A ilha do Combu também é muito visitada por quem deseja conhecer a vida ribeirinha, realizar passeios fluviais, percorrer trilhas e saborear pratos regionais em um dos restaurantes existentes.
Furos e Igarapés
Seja de barco ou canoa, navegar pelos furos e igarapés de Belém é desvendar as belezas naturais que a região possui. O corredor de águas é um ótimo convite para vivenciar o cotidiano dos ribeirinhos e apreciar a natureza e os encantos de Belém.
Patrimônio Cultural
O patrimônio cultural do povo paraense seja ele de origem indígena, cabocla, negra ou branca. Representa-se por meio dos seus ritmos e danças, como carimbo, do seu artesanato em penas, fibras, sementes e cerâmicas, do imaginário através das suas ervas e essências que juntos representam a riqueza entre as relações com o ambiente onde vivem.